Como detectar o que os Grandes Fundos fazem no Mercado de Ações…

Tape Reading funciona em quais Ativos?
31 de março de 2021
Como Elevar o Índice de Acerto no Day Trade!
31 de março de 2021

O que você faria se soubesse, por exemplo, que o fundo da Pimco (um dos maiores fundos de investimentos do mundo) está comprando muito uma determinada ação?

Eu imagino que você teria uma predisposição para comprar essa ação, não é mesmo? Afinal quem não quer estar do mesmo lado que um grande participante do Mercado de Ações?

Você consegue sim saber o que um Fundo de Investimento mantem em carteira, mas o grande problema é que essa informação é muito atrasada!

Todo começo de mês os Fundos são obrigados a divulgar suas carteiras e elas são abertas no site da CVM, mas obviamente devido à diferença entre a data da montagem da posição e a data da publicação da carteira essa informação é quase irrelevante para nós.

A boa notícia é que existe outra forma de detectar o que grandes participantes fazem no mercado e se você estiver interessado em detectar esta atuação no mercado, eu te convido a ler esse artigo até final.

Por que é importante seguir quem é grande no Mercado de Ações?

Antes de falar como detectar em tempo real o rastro das grandes posições vamos falar porque é importante identificar esse tipo de participante (ou player como são conhecidos).

Primeiramente, os Fundos Brasileiros somados às Instituições Estrangeiras representam cerca de 80% do volume negociado no mercado de ações.

Se nós fizermos uma consulta em qualquer ação e em qualquer dia iremos constatar que apesar de várias corretoras comprarem e venderem determinada ação, apenas poucas corretoras são destaques de compra ou venda.

Isso quer dizer que no final das contas o mercado sobe ou cai, determinado dia, por conta da atuação expressiva de poucos participantes.

Qual é o Processo Decisório dos Institucionais?

Grandes Fundos nacionais e estrangeiros costumam tomar suas decisões de compra e venda baseados nos fundamentos das empresas recorrendo a modelos que ajudam na precificação.

Resumidamente, uma empresa vale o seu potencial de gerar caixa de hoje para frente. Não importa o que ela gerou para trás e sim o quanto ela ainda pode gerar.

Talvez isso pareça abstrato, mas pegue um exemplo de um estacionamento. Você sabia que estacionamentos são negociados por quanto eles “rendem” mensalmente? A maior parte das avaliações desse tipo de negócio como estacionamentos, padarias ou lotéricas são avaliados multiplicando o lucro mensal (ou faturamento) por uma quantidade de meses.

Por exemplo, se um estacionamento gera lucro mensal de R$ 15.000,00 a negociação deve variar entre 25 e 40 vezes esse lucro, dependendo de diversas condições como localização, duração do contrato de locação e outros.

Digamos que você compre um estacionamento a 30 vezes lucro líquido, ou seja, investiu R$ 450.000,00.

Agora digamos que você deu sorte (para simplificar) e o estacionamento passou a gerar R$ 17.000,00 por mês. Concorda comigo que se você fosse vender hoje, você iria pedir 30 vezes R$ 17.000,00, ou seja, R$ 510.000,00?

Da mesma forma, se o proprietário aumentar o aluguel da propriedade, o que reduziria seu lucro para R$ 13.000,00, seu estacionamento valeria R$ 390.000,00.

Toda precificação depende do futuro e não do passado!

Nas ações não é diferente, mas ao invés de lucro, os participantes projetam todo caixa futuro da empresa (receita, custos, investimento, amortizações, etc) e trazem esse fluxo para o valor presente.

A dificuldade não é fazer a conta porque isso qualquer planilha de Excel pode fazer, a dificuldade é estimar esse fluxo de caixa futuro.

Quanto mais informação o analista tiver sobre a empresa e sobre qualquer fator que vai impactar no fluxo de caixa futuro da empresa, mais assertiva serão suas projeções e é justamente aqui que nasce o grande problema para nós pessoas físicas!

Estes grandes Institucionais costumam possuir vasta área de research (análise) e muitas vezes são cercados de muitos contatos, dotando tais participantes de acesso privilegiado à informação.

Infelizmente, não há como concorrer com esses players em termos de informação e a isso dá-se o nome de Assimetria de Informação. Isso quer dizer que não temos acesso ao que esses players olham para operar.

Assimetria de Informação – Desvantagem ou Oportunidade?

Obviamente que saber menos gera uma desvantagem, mas isso não é uma questão de escolha porque é um fato e que ocorre em todos os mercados.

Contudo, existe um outro lado da moeda e que passa despercebido pela imensa maioria das pessoas que é o rastro deixado pelas Instituições.

Pense comigo: Se você decidir comprar R$ 100.000,00 em ENBR3, ou seja, o equivalente a cerca de 7.400 ações ao preço de R$ 13,48, qual o impacto que essa compra geraria no preço?

Sabendo que na média, existem entre 4.000 e 7.000 ações ofertadas na compra ou venda em cada nível de preço, se você comprar 7.400 ações de uma vez, sua ordem vai deslocar o mercado em um centavo, no máximo.

Agora imagine como um participante consegue comprar (ou vender) 250.000 ações! (como no exemplo anterior através da corretora Morgan)

Será que ele colocou essa quantidade (250 mil ações) numa oferta única de venda a um determinado preço e esperou ser executado?

Isso é improvável de acontecer, porque o mercado perceberia sua real intenção (vender uma grande quantidade de ações) e sairia vendendo na frente (front running) fazendo este player ser obrigado a vender a preços mais baratos.

Os Institucionais fracionam os lotes para reduzir o impacto no mercado

O mais intuitivo é imaginar que este participante vai fracionar o lote a ponto de tornar sua influência no mercado o menos visível e impactante possível. Imagine que ele vá vender de 3.000 em 3.000 mil ações por vez.

No momento em que escrevia esse artigo existiam cerca de 3.100 ações na compra em ENBR3 a 13,48 e cerca de 5.000 ações ofertadas na venda a 13,50.

Veja as opções que este participante possui para vender todo seu lote (250.000).

Primeira – Colocar uma oferta de venda de 3.000 ações a 13,49, entrar na frente de todos os vendedores e esperar ser executado (Obs: não vou considerar a hipótese de ofertar mais caro que 13,50 porque além das 3.000 este player teria mais 247.000 para vender o que o deixa numa situação de não poder escolher o melhor preço).

Segunda: Aceitar vender as 3.000 ações a 13,48 (que é o preço da melhor oferta de compra) e “dar o fechado no negócio”. A isso damos o nome de Agredir. Nesse caso é uma agressão de venda, porque foi o vendedor quem tomou a iniciativa e aceitou vender o preço que o comprador pedia.

É de se imaginar que este player tente colocar uma oferta de compra a 13,49, mas o que acontece se ele não for executado?

Ele tem que aceitar vender a 13,48 (ou agredir o mercado).

O fato é que os Institucionais costumam “agredir” para fazer suas posições no mercado porque demandam execução imediata e especialmente porque costumam ter mais lotes para executar.

Quando ele for vender as próximas 3.000 ações de ENBR3, a próxima oferta de compra provavelmente estará em 13,47 porque ele consumiu quase toda a liquidez que existia na compra a 13,48.

Novamente este player (na verdade o algoritmo que ele está utilizando) fará uma escolha de vender  3.000 a 13.48 e esperar ser executado ou de aceitar vender a  13,47 (agredir a compra e garantindo execução imediata).

A urgência em executar a ordem, o tamanho total do lote e a quantidade de ofertas na contraparte vão determinar a agressividade da estratégia de execução desses players institucionais.

Quanto maior a urgência em vender, quanto maior a quantidade total de ações que ele precisa vender e quanto menor for a quantidade de ofertas na compra, maior tende a ser a propensão deste player em agredir o mercado!

O exemplo abaixo foi tirado no mesmo dia do exposto anteriormente e a linha vermelha é o que chamamos de “Acumulado da Agressão”.

Esse indicador acumula todas as agressões de um determinado dia e neste exemplo ele apontava para venda desde a abertura. (repare como a linha vermelha está acumulada na venda).

Esse indicador também indica a intensidade e o impacto que as agressões têm no preço (repare que na parte da manhã, a intensidade da venda e o deslocamento de preço são menores do que a intensidade das agressões de venda e que a queda da parte da tarde).

Conclusão

Sabendo que os grandes participantes do mercado têm acesso diferenciado à Informação e que é impossível competir com eles, as pessoas físicas deveriam acompanhar a agressão do mercado para saber o que esses grandes participantes estão fazendo!

Quanto maior o montante agredido, maior é o sinal de que há urgência em executar e consequentemente maior tende a ser o lote que o player ainda tem que executar e esse é o rastro deixado pelas Instituições.

Espero que tenha gostado!

Grande abraço e Atitude Vencedora.

André Antunes

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *